quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Dica n º 18 - Português - MONOSSÍLABO: tônico; átono

Vamos observar a diferença entre as duas frases a seguir:

1. Ele vai por onde?

2. Ele vai pôr onde?

Se analisarmos o aspecto físico, a diferença é apenas o acento diferencial circunflexo. Acerca da questão morfológica, diríamos: na frase 1, o por é preposição; na frase 2, o pôr é verbo.  Sobre a significação, verifica-se o contexto frasal, nota-se que os sentidos das frases 1 e 2 são diferentes.

Em relação ao fator tonicidade, o por (sem acento) constitui-se um monossílabo átono; e o pôr (com acento) representa um monossílabo tônico.

Para classificar um monossílabo em tônico ou átono, ou seja, para perceber a tonicidade, é necessário pronunciá-lo numa sequência de palavras. O monossílabo átono se apoia sempre sem em outro vocábulo (divide a sonoridade); o monossílabo tônico é autônomo (possui uma sonoridade independente). Agora, façamos o teste: pronunciemos as duas frases acima (1 e 2). Há uma diferença de força ao pronunciarmos o por (preposição) e o pôr (verbo).

Conclui-se também que um monossílabo pode ser tônico ou átono, isso depende do contexto. Exemplo: que, se pronome relativo (não antecedido de preposição nem seguido de pausa), conjunção, é átono. Mas, quê, se for substantivo e se compuser um advérbio interrogativo em fim de frase, é tônico. Vejamos: Ele sabe que a eufonia trata-se do bom som.; “Meu bem querer tem um quê de pecado...”

Lembramos: o que define a tonicidade não é o acento gráfico, e sim, a pronúncia numa relação entre palavras e a independência (ou não) no que se refere à sonoridade. Exemplos: vem, vêm, tem, têm (todos são monossílabos tônicos).

Os monossílabos correspondentes às classes de palavras substantivos, verbos, adjetivos são sempre tônicos.