sábado, 6 de julho de 2013

Definir teu olhar

O primeiro raio de sol quisera ser teu olhar
que vem iluminar meu sorriso perdido,
me trazer alívio, me esquecer o tempo,
já não ter sofrido e ser mais atrevido
a todo momento.

Encravados raios brilhosos em mim,
indeléveis, gostosos, maliciosos enfim.

Tanta Luz! Teu olhar, 
um segredo a desvendar
nunca em nosso tempo;
mitologia ítalo-helênico,
filosofia selvagem, polêmico.

Aquece o fogo e me queima por dentro,
invadindo "pouco a pouco",
uma loucura de louco, um tormento, um perigo.

E tudo que penso e digo não revela os efeitos,
e sinto que não há jeito de poder defini-lo.
   João Lover (1997)

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Brasil 3 x 0 Espanha: por enquanto, o jogo do século

Brasil justíssimo Campeão da Copa das Confederações 2013. A  Seleção Brasileira é o time mais vencedor de todos tempos e jogou contra o time considerado o melhor da atualidade, o campeão da Copa do Mundo de 2010: a Seleção Espanhola.

Do começo ao fim, não deixamos a Espanha respirar. Abrimos o placar com o oportunismo e a esperteza de Fred, depois de um lançamento do Super Herói: Hulk. O segundo gol foi um pombo sem asa de canhota de Neymar, após tabelar com Oscar. O terceiro gol: um passe de Hulk, Neymar, inteligentemente, faz a deixadinha, e Fred coloca a bola no canto esquerdo de Casillas. Toda a equipe brasileira jogou demais...

Vamos lembrar uma feliz coincidência entre David Luiz e Amaral (grande zagueiro da Copa de 78). Antes, vale dizer que ambos atuam na quarta-zaga, e a camisa dos dois é a número 4. David Luiz salvou o gol que seria o empate da Espanha no 1º tempo: o goleiro Júlio César já batido, o zagueiro corre, dá um carrinho e tira bola quase de cima da linha (se fosse gol, mudaria a psicologia do jogo). Nesse momento, o jogo estava um pouco equilibrado. Como disse Felipão, foi uma bola decisiva para que o Brasil ganhasse a partida. Esse lance é muito parecido com o acontecido na Copa de 78, no jogo Brasil x Espanha: o goleiro Leão já vencido, Amaral corre para a meta e consegue tirar a bola com o pé, como se fosse um goleiro; então, foi garantido o placar de 0 a 0, caso contrário, se a Espanha tivesse derrotado o Brasil, sairíamos na primeira fase. Eh! Amaral, que saudade! Recordo-me também de Givanildo (do Santa Cruz) jogando contigo, Zico e Rivelino: que maravilha!

Valeu, Brasil. Felipão tem esquema tático e coração. Neymar é o cara, só os grandes gênios da bola são extremamente decisivos: observem-se esses 5 jogos da Copa das Confederações 2013 (Neymar fez gols em 4 deles; em, praticamente, todos, deu assistências que se tornaram gols: somente isso, além de alguns dribles magistrais). Parabéns, Júlio César, Você merece, jogou demais e recuperou a confiança de grande goleiro que é. Valeu Fred, nosso carismático goleador, jogou muito na final. Estamos bem servidos de volantes: Paulinho e Luiz Gustavo. Estamos também contemplados na armação com Oscar. A zaga dispensa comentários: Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz, e Marcelo; além disso, o Hulk é nosso. Temos uma SELEÇÃO BRASILEIRA.