sábado, 23 de fevereiro de 2013

O choro

Uma menina chorando,
emanando tantos encantos,
que o seu jeito não nega.

Se uma lágrima escorrega
no seu rosto macio,
vem um alívio sadio
de uma dor que navega.

Tristeza e tempo passando
em seus compassos, correndo;
a menina, assim, sonhando,
nesse momento, sofrendo...

Mas... nada está perdido.

Menina! Solta teu sorriso
de preciso poder mágico,
de um brilho fantástico;
como um sol, manda Luz.
E no olhar se traduz
flamejantemente divina.

Se um dia tudo termina,
hoje, não será tarde;
esse peito te arde
porque o amor te domina.
  João Lover (2002)