quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Iniesta: craque de bola pra ninguém botar defeito

Iniesta. Esse rapaz não é só o melhor jogador europeu eleito na atualidade, Ele é um iluminado. Há muito tempo, já deveria ter sido eleito o melhor do mundo. Juntamente com Xavi, forma  a maior dupla de meio-campo dos últimos tempos e uma das maiores da história do futebol. Jogam simplesmente no melhor time de todos os tempos: o Barcelona.

Iniesta representa toda a dinâmica necessária para o espetáculo do futebol que gera grandes conquistas: habilidade, proteção da bola, passes e lançamentos precisos, ocupar os espaços certos, apresentar-se pra  receber a bola no espaço vazio, marcação, disposição em busca da recuperação da bola, inteligência, gols decisivos. Iniesta é um verdadeiro gênio da bola. E como todos os Sábios, age com simplicidade.

Ele também é um predestinado: vamos lembrar o gol na final da Copa do Mundo de Futebol de 2010, o gol foi de Iniesta, no segundo tempo da prorrogação, depois de um passe de Cesc Fàbregas, outro craque. Mais do que a graça daquele tento e daquela conquista, Andreas Iniesta estava determinado, determinado como o fez: tirou a camisa após o gol, e lá estava, numa camiseta branca, o nome do amigo falecido, o que traduz memória, respeito, coração, qualidades de um talentoso homem. A Holanda até poderia ter vencido o jogo, mas era o dia de Iniesta.

Hoje, sorri, Iniesta, que rima com festa, festa linda do futebol, por mais um título (Melhor Jogador Europeu, 2012), que é ainda muito pouco, por todo prêmio e prazer que nos ofereces em virtude do teu Futebol.
João Lover

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Solução


Em cada sonho, uma esperança,
em cada dor, uma lição
o que fica na lembrança
é o que vai ao coração.

E a paz é canção
do que vive pelo sentimento,
e a vida é o momento,
que pode ser uma ilusão.

Será tarde algum dia,
o agora já se foi,
em todo risco se expôs
o que quis a utopia.

E fica sem sentido
toda coisa sem amor,
e falso é o clamor
sem ação a conduzi-lo.

Vale toda emoção,
a força é um sorriso...
no criador, o improviso,
em nós, a solução.
   João Lover (22/08/2012, 6:30h)

domingo, 12 de agosto de 2012

Pai e Filho


 (O) ser Pai, (o) ser Filho.
Um ser Pai, um ser Filho.
Seja substantivo ou verbo, seja definido ou indefinido,
são termos, coisas, instrumentos, fatores, seres correlatos:
para existir o filho, conforme as prescrições da natureza, tem de haver pai. Para existir o pai, tem de surgir o filho.


A perfeita liga de sangue e afeto,
algum tempo no mesmo teto,
e o sentimento de toda vida,
um sonhar sem medida,
um agir pra tudo certo.

Assim Ele quer o Filho perto,
e há o imenso deserto
numa angústia pela distância.

E o olhar, em rutilância,
se esse filho sorrir:
contemplação a invadir,
na infinita emoção,
todo prazer no coração,
o melhor dos paraísos,
o abraço mais querido,
e a Paz é a canção.
   João Lover (12/08/12)


Feliz Dia dos Pais!



segunda-feira, 6 de agosto de 2012

O cheiro do amor

Decerto, o melhor perfume
é exalado da morena
na mais linda cena
de amor que se acostume...

Um tubarão no cardume,
uma coisa obscena,
fantasias não-amenas
e todo nosso curtume...

Ofega falsos queixumes
a pantera insaciável
no oceano do volume
do êxtase imensurável...
   João Lover (2002)