quinta-feira, 29 de março de 2012

Edmundo: craque de futebol se despede

Dia 28 de março de 2012 marca a despedida de Edmundo do Futebol. O jogo foi em São Januário (Estádio do Vasco). Edmundo, com a Camisa 10, fez dois gols. O jogo terminou 9 a 1 para o time da casa contra o Barcelona de Guaiaquil.

Ele começou no Vasco em 1992, depois foi para o Palmeiras, Seleção Brasileira, e outros times, e seu coração é vascaíno. Roberto Dinamite (Presidente do Vasco), outro  craque, organizou uma linda e merecida festa.

Edmundo é um desses atacantes de personalidade forte (chamado de Animal) dos quais sentimos falta. É, sem dúvida, um dos maiores que já vi jogar: junta-se a Tostão, Roberto Dinamite, Careca, Edílson, Reinaldo, Ronaldo...

Aproveito o ensejo pra falar de algumas injustiças do futebol: Edmundo é um dos injustiçados. Comecemos com o Divino: Ademir da Guia, que jamais deveria ter sido reserva na Copa de 74 (o Palmeiras foi Campeão Brasileiro de 72 e 73, Ademir o Maestro daquele time). Depois, foi a vez de Falcão não ser convocado para a Copa de 78 (o Inter de Porto Alegre foi o Campeão Brasileiro de 75 e 76),   preferiu-se levar o carniceiro Chicão. Para a Copa de 86, não levaram Marinho do Bangu, outro excepcional atacante (o Bangu, em 85, foi Vice-campeão Brasileiro e Vice Carioca), também não se levou Renato Gaúcho, importantíssimo nas eliminatórias dessa Copa. Em 1994, já era a vez de Edmundo, mas perdeu a vaga para Viola (isso é revoltante). Pior ainda, o que fizeram com Valdo, nosso melhor jogador da Copa de 90 e estava em grande fase, mas Zinho era o homem do Zagalo. Na Copa de 98, era vez de Edmundo de novo, Ele foi o Artilheiro do Campeonato Brasileiro de 1997 (Vasco Campeão) e Melhor jogador, e teve que ficar na reserva para Bebeto, fraquíssimo nessa Copa, mas apadrinhado. Existem mais...

De lado as injustiças, Edmundo, valeu demais, animal! Não há nome mais apropriado para esse Cracaço de bola. Um verdadeiro selvagem, instintivamente falando. Partia ao ataque, com inteligência e habilidade raras: um excelente goleador.
   João Lover

sábado, 24 de março de 2012

Chico Anysio: um Artista universal


Em 23/03/2012, vai para outra dimensão mais um Artista universal: CHICO ANYSIO. Defini-lo é tão difícil quanto definir a Poesia, a Luz e a Inspiração.

Só aquele capaz de aprender é capaz de ensinar. Esse pensamento traduz algo do perfil desse mito cearense de Maranguape. CHICO ANYSIO não é só um dos maiores artistas do Brasil (O Pai dos Humoristas), Ele é um dos maiores do mundo. Concentrou quatro peculiaridades essenciais: conhecimento, trabalho, talento e criatividade. Ele enquadra-se no mesmo rol de Leonardo da Vinci, Mahatma Gandhi, Shakespeare, Einstein, Picasso, Pelé e outros gênios...

Frases do depoimento de CHICO ao Fantástico dizem tudo. Sobre o humor: “O humor é irmão da poesia. O humor é quem denuncia (rimou) (...). O humor é tudo, até engraçado.” Nessa reflexão, disse ainda que o Artista não conserta o mundo, mas tem a obrigação de denunciar (humor engajado). Sobre o sucesso falou: “O sucesso é um acidente de percurso. Não pense que o sucesso seja eterno, é muito difícil que ele seja. Então, não humilhe ninguém, mantenha-se humilde, porque, daqui a pouco, cê num sabe como será.”

Foi um acaso... Ele ia jogar bola, mas voltou à casa dele pra buscar o tênis. Daí foi à Rádio Guanabara fazer um teste... E Ele que pretendia ser advogado e também jogador de futebol, após o teste, em 10 dias, já encarava quatro profissões: Rádio ator, Locutor, Redator e Comentarista de futebol... Esse começo foi uma prévia de sua, diria, impossível capacidade. Um orgulho pra nós brasileiros.

Pra não me alongar, lembro que CHICO ANYSIO é Humorista, Ator, Cantor e Compositor (Baianos e Novos Caetanos), Artista Plástico, Roteirista, Repórter, Comentarista Esportivo, Escritor, Pensador e Poeta na mais imensurável acepção da palavra (altíssima qualidade). Ele mesmo se conceituou como teimoso, esqueceu-se de generoso, reconhecedor de talentos, mestre, sábio mais do que o suficiente. Simples na excelência, afirma a filosofia que herdou do Matemático: “Não me envergonho de mudar de ideia porque não me envergonho de pensar.”

Adeus, CHICO! Sabedoria e criação de Gênio (imortal e insubstituível), coração de Francisco.
   João Lover

quarta-feira, 21 de março de 2012

União

A união é o tudo...
Mesmo que não mude o mundo,
traz alguma solução.
E faz do simples o profundo
se se vai resoluto
pelas Luzes do Coração.
   João Lover


sexta-feira, 16 de março de 2012

Cristal

O raio de sol incendiava o olhar,
e o verde a cintilar se expandia
em colorido e beleza,
com fascínio e certeza
para inspirar melodias.


O cristal e o nome
traduzem a divindade
pela felicidade
que a beldade provoca,
como se numa troca
entre prazer e verdade.


Coloca tudo em xeque,
e os reis dominados,
ampliam-se os leques
do querer desenfreado,
e o céu vem pra perto,
e arde um inferno
na libido, frenético,
todo poder magnético
não pode ser calculado.


Assim, compulsivamente,
faz um anjo inocente
cometer seu pecado...
   João Lover (1998)

quarta-feira, 7 de março de 2012

Mulher Mãe

Resoluta a Mulher é incomparável...
todos os dias, uma luta.
Por esse Ser tão mais admirável,
o homem trava infinda disputa.


Ela é cada vez mais significativa
nessa evolução da sociedade;
de poder, a grande alternativa
para que se salve a humanidade.


Pela Mulher, a geração da vida,
maravilhosa medida sem preço,
vem a criança e o berço:
superior motivo pra sua lida.


Na Mãe, o mais sublime sentimento,
o aconchego, o laço mais perfeito,
a ternura em seu mais lindo jeito,
único e verdadeiro encantamento.
   João Lover (7/3/2012)

terça-feira, 6 de março de 2012

Explosão além-abissal

Um universo doutro mundo...
Amantes mais profundos
que as profundezas do mar.


Agonia de horas frenéticas,
desafinando em fonética,
dois corpos a se amar.


Sorria e gemia a chorar,
sensualidade acrobática
de estética "kamassutrática".


Sobe-se pelas paredes
feito quem mata uma sede
perdido fugindo da morte.


A miragem, a sorte,
a liberdade, a rede
e a sensação mais forte.
   João Lover