quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Dica n° 6, Língua Portuguesa: emprego da vírgula


Você sabe virgular?

A pontuação é muito importante. Ela é uma das ferramentas essenciais para que se expresse, na escrita, mais ou menos, o que se fala e o que se pensa. Então, pontuar é fundamental em qualquer texto escrito. A vírgula é o sinal de pontuação mais utilizado.

Para resolver questões, lembre-se de quatro coisas: 1. não se separa, por vírgula, o sujeito do predicado; 2. não se separa, por vírgula, o verbo do complemento verbal ou de uma oração que funcione como complemento verbal; 3. não se separa, por vírgula, o nome do complemento nominal; 4. se houver uma palavra, termo ou frase entre duas vírgulas, e, se você retirar o que estiver entre as duas vírgulas e também as vírgulas, o texto continuar com sentido, as vírgulas estão gramaticalmente corretas; 5. não há vírgula imediatamente após a palavra que (se houver, também haverá outra logo em seguida, pois se marca a intercalação de alguma coisa).

Veja os exemplos: 1. César Cielo disse a alguns jornalistas que estava muito focado para ganhar a medalha de ouro. Observe que, nesse caso, foi apenas necessário o ponto-final; 2. César Cielo, que ganhou a medalha de ouro nos 50 metros nado-livre nas Olimpíadas de Pequim, chorou de emoção. Nesse caso, é imprescindível a colocação das duas vírgulas, porque temos uma oração subordinada adjetiva obrigatoriamente explicativa intercalada.

É necessário ter recurso técnico para reconhecer os termos: isso melhora com a prática. Tanto pode haver fragmentos maiores de frases ou frases sem vírgula, como pode haver diversas vírgulas em um pequeno fragmento. 

Um exemplo final: Quando comecei o texto, pensei, e, percebi que, decerto, poderia ficar extenso, então, apresentei só algumas nuances.
   João Lover

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Quimeras do desejo

Como o mar bate na terra
nas horas de ressaca
e também tudo arrasta,
no horizonte se encerra,
perdendo-se imenso
como um pensamento
se esvaindo em quimeras,


é o mais forte sonho
nos fazendo tão fracos,
perdidos farrapos
de solidão sem tamanho...


E o mais escuso pejo,
desvairado, nos consome
na insaciável fome
do nosso tolo desejo.
   João Lover

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

A mais linda voz, Whitney Houston, se cala em 11/02/2012

A voz humana é o instrumento mais encantador que existe em matéria de música: única, exclusiva, insubstituível. Nelson Gonçalves, Simone, Milton Nascimento, Luiz Gonzaga, Elis Regina, Mariza Monte, Oswaldo Montenegro, Mariah Carey, Whitney Houston são exemplos de magníficas vozes.

O sucesso, as premiações recebidas ao longo da carreira, o reconhecimento ratificam o talento de Whitney.

The Graetest Love of All, composta por George Benson, é uma das obras-primas da música pop e um de seus maiores hits. Essa música na voz de Whitney Houston é tudo que não se pode definir, como a poesia e a Luz, trazendo deslumbrante emoção,  prazerosa vibração de um momento...

Tudo é passageiro e não existe possibilidade de se manter nos píncaros do sucesso o tempo todo... A grande cantora deixa sua marca, imortalizada em áudio de indescritível magia.

Difícil para um artista, como para todo ser humano, conviver com a limitação. O artista também é condicionado (é humano): possui os mesmos sentimentos que os outros seres comuns. E quando aparecem os desenganos e os fracassos, nada parece fazer sentido, e o artista pode cair num vazio, muitas vezes, sem volta se se busca a salvação nas drogas. Ser forte, quem é capaz?

Há poucos meses se foi Amy Winehouse, outra voz maravilhosa, agora, Whitney Houston. O sucesso é o que se persegue, mas o homem é insatisfeito por natureza mesmo alcançando a glória (sempre passageira). O que somos está por dentro de nós num lugar que ninguém vê nem percebe: uma ilusão que pode ser liberdade ou precipício. Quem é capaz de vencer? E, o que é vencer?!

Adeus, Whitney Huston: nos conceitos musicais, a perfeição, o encanto, a beleza, a voz impossível, infinita Luz é o seu canto...

sábado, 11 de fevereiro de 2012

A arma e a força

Poesia: alma, navalha, carne
e tudo o que já arme
uma suprema Luz infinita,
ferina, muito tranquila
feito a guerra e a Paz.


Jorra um sangue voraz
como o desejo do amor;
escorre o riso e a dor
no corpo e no espírito,
vem real, "sensinvisível",


sendo silêncio e grito
da emoção: vida e morte,
fazendo o sonho possível
e o poeta mais forte.
  João Lover

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Dica n° 5, Língua Portuguesa: ATENÇÃO e EXCEÇÃO


Atenção deriva de qual verbo?
Exceção deriva de qual verbo?

Esses dois vocábulos acima são substantivos formados a partir de verbos da primeira conjugação.

A dica é a seguinte: os substantivos derivados de verbos da primeira conjugação, ou seja, os verbos terminados em AR, (por exemplo, ATENÇÃO e EXCEÇÃO), todos recebem o ÇÃO (com cedilha) no final.

É bom ficar atento: ATENÇÃO vem do verbo ATENTAR. Atente para o que eu estou dizendo.

EXCEÇÃO vem, ou deriva, do verbo EXCETUAR (EXCEPTUAR). Todos gritaram, a exceção foi a moça de vestido vermelho.


sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

O aquário

Mergulhou num aquário molhado,
tornando-se um peixe acasalado,
enlouquecido dentro escorregando.

Em tanto prazer, já afogado,
nesse imenso oceano, levado,
saciando a fúria do encanto.

E nesse turbulento acalanto,
no zênite, borbulhou a vibrar,
extasiado, arrebatado, sonhando,
pois bebeu toda sede de amar.
   João Lover