domingo, 11 de dezembro de 2011

Emoção das Letras (Poema de Formatura, 1998)

Este poema de agora,
ele é, sem demora,
satisfação desmedida,
e assim, uma bebida
para brindar esta hora.


E nós estamos juntos
há tantos e tantos minutos,
não estaremos amanhã,
findado o nosso afã,
concluída mais uma etapa.


O nó da gente desata,
e o coração tem saudade
dessa tal felicidade
de caminharmos tão perto
em busca de um eterno
conhecimento (futuro),
ou no claro, ou escuro,
na trilha das letras,
que são e serão nossas tetas
alimentando a expressão.


E somos um clarão 
de Luz que não se apaga
um corte, a navalhada,
o sangue pela vida,
o alívio da ferida
da nossa gente sofrida,
deste povo que trabalha.


Hoje é o dia!
Se Eu chorar, Você ria,
Se Eu rir, Você "chora";
essa nossa agonia
é o prêmio, a vitória!


Seguiremos a trajetória,
leve o meu coração,
vamos numa canção 
de Paz e liberdade,
e a nossa amizade é verdade:
uma razão de ser nesta vida,
uma explosão colorida
de um prazer fascinante.


E num abraço, sem saída,
inesquecivelmente fica
nossa emoção brilhante!
  João Lover

Nenhum comentário:

Postar um comentário