sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Previsão de ano novo

A previsão indica que os sentimentos são os mesmos a cada ano. Em todos os planos, a humanidade é embalada pelo sonho... E tudo é essa força que se chama sentimento: o que faz valer o momento; e a emoção é uma tradução da vida: a medida infinita do viver de cada um. E a grande pedida, óbvia, é AMAR: o que nos salva pelo lado do bem, numa conduta que busca o sorriso do outro; e o coração fica solto e recheado de PAZ. Essa é a previsão; e as coisas do coração prevalecem. Que isso seja nossa canção, nossa ação, nossa prece. O resto é ilusão; e a solução é nossa, ALGUÉM acredita na gente.
    João Lover

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Contabilidade temporal

Nas 'partidas dobradas' do tempo, 
o que vale mais? O amor ou a vida?


A vida parece valer mais,
verificando-se a premissa:
só os vivos podem amar.


Por outro lado,
a vida sem amor não vale.


Então, contabilizando ações, escusas,
hesitações e omissões, chega-se
à seguinte conclusão:
quem não ama já está morto.


E assim, entre débitos e créditos,
observa-se que "amar é viver" e 
vice-versa na contabilidade do tempo,
iniciada pela vontade de Deus.
   João Lover

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Poema de Natal

Todo dia é um pedaço do Natal.
Natal, nascimento, vida:
uma coisa refletida
no brilho do nosso olhar!
E assim podemos sonhar,
e não ter a esperança perdida.


Que estejamos prontos pro abraço,
as derrotas não são o fracasso,
podem começar a vitória.


E que dividamos a glória
de todo nosso sucesso
com boa vontade em excesso
numa contagiante euforia


pra que o coração, dia a dia,
seja feliz realmente...
a nossa alegria existente
sempre ao irmão estendida
numa emoção: nosso prêmio
presente em todos milênios
com a nossa Paz infinita!
   João Lover

domingo, 18 de dezembro de 2011

Barcelona 4 X 0 Santos: uma LIÇÃO de Futebol (18/12/2011)

O Santos perde do Barcelona (Final do Mundial Inter-clubes da FIFA). Ser derrotado pelo melhor time do mundo é "aceitável". O Barcelona não é só a melhor equipe da atualidade: é o melhor que já vi jogar em todos os tempos. Talvez não seja mais que o Santos de Pelé (esse não vi atuando). Assisti à Holanda de 74 (Carrossel Holandês), conheci o Flamengo de Zico, emocionei-me com a Seleção Brasileira de 82 (antes do Barcelona, a melhor Seleção de todas), encantei-me com Espanha na Copa do Mundo de 2010: nenhum desses é superior ao Barcelona.


Talvez alguém até ache engraçado o que vou falar: o Santa Cruz, de Recife, na década de 70, passou mais de 20 partidas invicto utilizando uma filosofia de jogo parecida com a do Barça: marcação desde a saída de bola (isso inclui Campeonato Pernambucano, Campeonato Brasileiro e excursão pela Europa e Oriente Médio). Viva o Mestre Gradim.


Voltemos ao jogo: de acordo com a minha experiência, uma coisa é certa: agiu com medo, perde. Não existe uma fórmula 100% (em determinadas situações, futebol também é sorte), mas o Santos utilizou a filosofia errada: três zagueiros e um meio-campo mais aberto, jogou muito recuado. Se eles não dão espaço, também não devem receber espaço. O feitiço deve virar contra o feiticeiro. O Santos, quando adiantou o time no segundo tempo, criou três situações de gol em 13 minutos, mas já era tarde...


Como disse Neymar, foi uma LIÇÃO de Futebol, "se o Santos implantar esse estilo de jogo, ninguém nos vence." O Barcelona joga simples: posse de bola, marcação pressão, todo mundo corre pra marcar, ocupa os espaços vazios do campo, triangulações, verticaliza a bola e alguém entra em diagonal para receber, passes precisos. Tudo isso aliado à técnica e à habilidade de jogadores como Iniesta, Xavi, Fabregas, Messi, Daniel Alves e todos os outros... Outra coisa é o preparo físico invejável.


Só existe um meio de parar o Barcelona é tirar-lhe o espaço e igualar, no mínimo, a posse de bola, se for possível. Jogadores dessa qualidade não podem receber a bola e pensar; deve-se também jogar agredindo pra que eles não fiquem "o tempo todo" no campo de ataque. Como "dirigir / controlar" um carrossel?


A Neymar um recado: não desanime, cara! Hoje não era o dia. Você só tem 19 anos e já é um dos melhores do mundo, completo em todos os fundamentos na sua posição, melhor do que Messi. Então, é só trabalhar pesado, talento Você tem, e muitas emoções virão proporcionadas pelo seu Futebol. Falei, antes, sobre o melhor time do mundo. Agora, digo, afora Pelé, não existe nenhum atacante que possua o seu reflexo: isso é coisa de gênio, vencedor que traz muitas alegrias à Nação Brasileira.
   João Lover

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Ambiguidade: embaraço na coerência do discurso

A ambiguidade pode funcionar muito bem na poesia, mas, em geral, deve ser evitada... Observe-se um caso em que ocorre essa situação (ou seja, quando tecnicamente o leitor é levado a outro entendimento do texto): estava lendo uma reportagem da Revista ISTO É (n° 2178, dia 10/08/2011), título: ATRAÇÃO FATAL PELA BOLA, escrita pela Jornalista Cláudia Jordão. 


Vamos à matéria: "Por que a mistura de juventude, futebol e mulheres costuma ser explosiva, como no caso da namorada de Rafael Silva, jogador da Portuguesa, que morreu após cair do 15° andar de um prédio em São Paulo...". Quando a leitura chega a esse ponto, entende-se que o jogador teria morrido, mas, na verdade, foi a namorada, isso é visto mais adiante. Verifica-se um contratempo que vitima o leitor.


A Jornalista usou uma oração subordinada adjetiva explicativa: "que morreu após cair do 15° andar de um prédio em São Paulo" para especificar a namorada. No entanto, pela distância entre determinante e determinado, houve uma complicação.


O "problema" poderia ser resolvido da seguinte maneira: ... como no caso da namorada de Rafael Silva, jogador da Portuguesa. Ela morreu após cair do 15° andar de um...


Deve ter sido uma desatenção da Jornalista. Todo cuidado é pouco, o escrito sempre é uma preocupação, e todos nós estamos sujeitos a um escorrego. Por isso, conhecer tecnicamente o sistema é fundamental, e também sempre revisar o discurso.
    João Lover

domingo, 11 de dezembro de 2011

Emoção das Letras (Poema de Formatura, 1998)

Este poema de agora,
ele é, sem demora,
satisfação desmedida,
e assim, uma bebida
para brindar esta hora.


E nós estamos juntos
há tantos e tantos minutos,
não estaremos amanhã,
findado o nosso afã,
concluída mais uma etapa.


O nó da gente desata,
e o coração tem saudade
dessa tal felicidade
de caminharmos tão perto
em busca de um eterno
conhecimento (futuro),
ou no claro, ou escuro,
na trilha das letras,
que são e serão nossas tetas
alimentando a expressão.


E somos um clarão 
de Luz que não se apaga
um corte, a navalhada,
o sangue pela vida,
o alívio da ferida
da nossa gente sofrida,
deste povo que trabalha.


Hoje é o dia!
Se Eu chorar, Você ria,
Se Eu rir, Você "chora";
essa nossa agonia
é o prêmio, a vitória!


Seguiremos a trajetória,
leve o meu coração,
vamos numa canção 
de Paz e liberdade,
e a nossa amizade é verdade:
uma razão de ser nesta vida,
uma explosão colorida
de um prazer fascinante.


E num abraço, sem saída,
inesquecivelmente fica
nossa emoção brilhante!
  João Lover

domingo, 4 de dezembro de 2011

Sócrates: Doutor de Futebol

Sócrates, isto é, Craque de futebol, Inteligência, Personalidade, Liderança, Democracia, Coração.

Hoje, 4 de dezembro de 2011, foi para uma outra dimensão Sócrates Brasileiro Sampaio de Souza Vieira de Oliveira. Ironia do destino: exatamente no dia em que o Corínthians é Campeão Brasileiro.

Vamos voltar ao passado: o Corínthians, na década de 70, depois de mais de uma dezena de anos sem título, foi Campeão Paulista de 1977, com aquele antológico gol de Basílio. Observa-se que, nesse contexto, havia excelentes jogadores. Mas, após a saída de Rivelino, não surgia ainda nenhum jogador com tamanha representação.

Saído do Botafogo de Ribeirão Preto, onde eclodiu (passagem vitoriosa), o Magrão ou  Doutor, chega ao Corínthians em 1978. Foi Campeão Paulista de 1979, ao lado de Zé Maria, Amaral, Wladimir, Palhinha e Biro-Biro... O mundo começa a conhecer um dos maiores jogadores de futebol de todos os tempos. Foi também Campeão Paulista de 1982 e 1983, jogando ao lado de Zenon, Casagrande, Leão, Eduardo, Biro-Biro, Wladimir...

Em 1979, é convocado para a Seleção Brasileira... Faz parte daquele fantástico time do Brasil da Copa 1982. Lembremos o meio-campo: Cerezzo (5), Falcão (15), Zico (10) e Sócrates (8) – o Capitão. Sócrates teve a honra de marcar o 1° gol do Brasil em duas Copas (1982, contra a União Soviética; 1986, contra a Espanha).

Ele foi um jogador habilidoso, artilheiro, inteligentíssimo, de toques rápidos e desconcertantes: utilizou como ninguém o toque de calcanhar – sua marca registrada.

O Futebol e os amantes do futebol estamos tristes neste momento, mas felizes e emocionados pelo prazer de ter visto o Doutor Sócrates jogar.

Nome de Filósofo, um Homem Filósofo defensor veemente da Democracia. Um Filho querido da Pátria. Uma lição e a saudade...

Grandes homens fazem mudanças (alquimia, mágica, encanto, respeito...). Hoje, foi um dos raros dias em que torci para o Corínthians.
  João Lover

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Quando estou em teus braços

.......................
...........................


É como uma morte
voltar de novo em vida,
como não haver ferida
e usufruir toda sorte.


E vai a sul e norte
como as vozes do vento
carregando o alimento
no sentimento mais forte.


E assim um vazio
parece ser preenchido
como saciar todo o cio
e encontrar o sentido.


Nunca mais estar perdido,
porque tenho o teu abraço,
sou o dono do espaço,
sou eterno e infinito.
   João Lover