segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Carlos Drummond de Andrade: o Poeta do sentimento do mundo

De um Pedregulho-MG (Itabira-MG), nasce (31/10/1902) alguém de alta sensibilidade e rara inteligência, como são os grandes mestres da literatura. Esse mago das palavras (que coincidência!) veio ao mundo no “Dia das Bruxas”. Uma pedra permite esse caminho, e “tinha uma pedra no meio do caminho...”, e há uma Poesia que nos salva.

Quem se predispõe a pensar e a beber conhecimento (filósofos, poetas, pensadores...), deveras, vai sofrer e sedimentar-se numa visão pessimista do mundo social. Assim, é Drummond, que vai do profundo lirismo introspecto: memória, saudade, amor às observações cotidianas, engajamento, tempo presente. Ele, indiscutivelmente, vivenciou o seu tempo, não deixando escapar nada de sua genial percepção, transformando todo o seu “sentimento do mundo” nessa força suprema que podemos chamar de sua linguagem. Como diria Ferreira Gullar: “Traduzir uma parte na outra parte / é uma questão de vida e morte...”

Hoje é um dia especial: dia de Luz na mais nítida acepção da palavra! Seriam muitas teorias e ensaios sobre a luta do Poeta “contra” o eu-lírico transcendental, de uma originalidade somente traduzida nos grandes sábios... Então, vamos curtir alguns versos de Drummond:

            “Meu mundo vasto mundo,
            se eu me chamasse Raimundo
            seria uma rima, não seria uma solução.
            Mundo mundo vasto mundo,
            mais vasto é meu coração.”

“O presente é tão grande, não nos afastemos.
Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas.”

            “Chega mais perto contempla as palavras.
            Cada uma
            tem mil faces secretas sob a face neutra
            e te pergunta, sem interesse pela resposta,
            pobre ou terrível, que lhe deres:
            Trouxeste a chave?”

“Sempre no meu amor a noite rompe.
Sempre dentro de mim meu inimigo.
E sempre no meu sempre a mesma ausência.”

            “Eu preparo uma canção
            que faça acordar os homens
            e adormecer as crianças.”


segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Futebol: um Rei e um parvo aspirante

Uma declaração IDIOTA foi notícia, no mundo inteiro, há alguns dias. Messi falou: “Não vi Pelé jogar, mas não faz falta, vi Maradona.” E considerou este o melhor de todos os tempos no futebol.

Depois de declarações infelizes, já observei no futebol algumas derrocadas. Vou exemplificar somente uma, de Jair Picerne, na época, Técnico do São Caetano (começo dos anos 2000): “Sou o melhor técnico de futebol do Brasil.” Daí, não ganhou nada, tinha um excelente time, foi vice-campeão brasileiro duas vezes seguidas e vice da Libertadores das Américas. E, que ironia: o São Caetano, nessa mesma década, foi Campeão Paulista, mas Picerne não era o técnico.

Com Messi não vai ser diferente, os ventos vão soprar... Voltando ao que disse o Camisa 10 do Barcelona, faço uma pergunta: quantos gols Maradona fez com a perna direita e quantos gols fez de cabeça?? Onde quero chegar: Maradona e Messi são tortos só jogam, praticamente, com a perna esquerda. Pelé não se sabe se era canhoto ou destro, fazia com as duas pernas tudo com mesma precisão. A obra de Maradona (pesquisem) é muito pequena, quando se fala em números. Os números de Pelé são impossíveis, sem falar que ele é o Atleta do Século XX (entre todos os esportistas).

Messi é um excelente jogador, tem condições de superar Maradona. Mas, se ele acha que o Diego é o melhor de todos os tempos, nota-se a sua pouca inteligência. É melhor que ele não assista ao DVD Pelé Eterno: vai chorar muito ao ver a distância que separa Pelé dos simples mortais.

Messi está iludido com o nome ‘melhor do mundo’: antes de chegar a Pelé ainda tem de passar por Zizinho, Zico, Garrincha, Rivelino, Ronaldinho Gaúcho, Falcão, Kruyff, Ronaldo, Romário, Valdo, Rivaldo, Zidane, Baresi, Okocha...

Uma dica para qualquer zagueiro, como se diz na minha cidade: faça o “pantim” com a perna esquerda e Messi vai puxar o corte para o seu lado direito, aí é só marcar. Um jogador para marcá-lo deve ter velocidade e marcar colado. Qualquer jogador só pode estar onde o corpo estiver... Pelé ninguém conseguia marcar.
     João Lover

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Duas montanhas

Os teus seios... e um aperreio.
São montanhas paradisíacas,
enlouquecem batidas cardíacas,
põem dedos e lábios sem freio.

Maciez de toda Paz,
delicados-e-não-tenaz,
afiados feito um diamante,
um consolo pro amante
em seu desejo voraz.

Prazeroso passeio alucina,
essencial componente no sexo,
misterioso complexo convexo,
explode, em anexo, a língua.
     João Lover

sábado, 15 de outubro de 2011

O Professor

Ensinar é uma Arte,
é creditar uma parte
do melhor de Você
pra fazer acontecer
a mudança bem-vinda,
e algo se anima 
na vida de alguém.


Tudo que se mantém
é agora mais forte.
Como se, numa sorte,
os caminhos cruzados.


Esse alguém libertado
daquilo desconhecido,
age mais atrevido
já que está preparado.


O Professor é o fogo,
como o tempo, infinito,
nosso trunfo do jogo,
amuleto bendito.


E tudo se transforma
pelo nosso conhecimento:
uma certeza, uma prova
de que vale o momento.
    João Lover

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Meu tesouro

Minhas Filhas e meu Filho!
Ah! Se eu pudesse comprar
todos os brinquedos,
consertar todos os meus erros!


A pura fantasia vivida na infância...
Guardo as lembranças do meu sorriso
e necessito do Vosso para ser feliz.


E Vosso olhar é a força e o tempo,
para suportar todo tormento,
a fé para tudo vencer.


Tantos sonhos já não quero ter...
Vosso abraço é o sonho real,
a felicidade em Divino sinal,
mais do que eu devo merecer...
     João Lover

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Brincar é viver

Ser criança é um sonho bem adulto...
Faça-se com a mais plena candura,
isso pode livrar da armadura:
o interesse, que é tão parvo, corrupto.
                                                                    
Para brincar, a hora, desmarcada,
nosso coração sempre mais alegre;
viva aquele parceiro que se entregue
para que seja boa tal empreitada!

A brincadeira vai-nos distraindo
com prazer e emoção supraveemente,
sozinho ou em conjunto tudo é lindo.

Uma Paz é sentida intensamente;
nesse agir, nosso espírito, mais limpo;
assim, criamos Luz, vida-semente.
    João Lover
        04/10/2009

sábado, 1 de outubro de 2011

Ébrio

Vi o desequilíbrio do homem bêbado,
equilibrado em supostas bases
solidificadas do vazio.


Cheio de credos absurdos,
um complexo de miragens
visionadas de ângulos partidos,
submerso em profundas ilusões.


Não descobre que
existe dentro de si mesmo
um magnífico universo.


Acovarda-se no tempo,
movimentos descompassados,
pouca coragem e pouco reflexo
refletem a incapacidade de fazer...


Caminha pra nenhum lugar,
chega a lugar nenhum,
passa sem perceber
que é maravilhoso viver!
  João Lover (1995)